URGENTE: Dom Luiz Azcona é internado em Belém; Bispo emérito é referencia no combate a exploração

Dom José Luís Azcona, está internado em Belém (PA). A informação foi divulgada hoje (19), em comunicado, pela prelazia do Marajó, que pediu orações pela recuperação do bispo aposentado.

Dom Azcona, 84 anos, foi internado “devido a distúrbio metabólico do sódio”, disse a prelazia. Segundo boletim médico de hoje, “ele segue fazendo exames para investigação clínica, pois apresentou uma lesão no pâncreas que precisa ser diagnosticada”.

CASO

A Hiponatremia é um distúrbio da concentração de sódio no organismo, que acaba sendo causada por conta do uso de determinados medicamentos ou de insuficiências no coração, fígado e rins. Os sintomas da doença são fraqueza, anorexia, fadiga, vômitos, mal-estar e adinamia (fraqueza muscular).

HISTORICO

Dom Luís Azcona é um religioso espanhol da Ordem dos Agostinianos Recoletos, mesma congregação religiosa de dom Jesus Maria Cizaurre, bispo emérito da diocese de Bragança. Dom Luiz Azcona foi bispo da prelazia do Marajó de 1987 a 2016. Mesmo após sua renúncia, continua vivendo na ilha.

Em 2009, dom Azcona denunciou casos de pedofilia e exploração sexual de crianças e adolescentes no Marajó por políticos e empresários locais. A denúncia deu origem à CPI da Pedofilia na Assembleia Legislativa do Pará e no Congresso Nacional. Até hoje muitas denuncias são oficializadas por Dom Azcona, em relação a exploração sexual e pedofilia, com isto faz-se conhecido mundialmente combatendo está mazela, onde o Estado ainda não chegou, ou ainda faz o esforço de não querer chegar.

No contexto do Sínodo da Amazônia, em 2019, foi uma das vozes conservadoras a se manifestar. O bispo emérito não participou do sínodo no Vaticano, mas publicou artigos com críticas ao Instrumentum Laboris, ao sínodo e ao documento final.

Em 9 dezembro do ano passado, a prelazia do Marajó disse que o núncio apostólico no Brasil, dom Giambattista Diquattro, tinha ligado para dom Azcona informando que ele não poderia mais morar no território da prelazia, sem dizer quais seriam os motivos para essa decisão.

A notícia gerou uma grande mobilização. Marajoaras fizeram manifestações em diferentes locais da prelazia e nas redes sociais, onde adotaram a hashtag #FICADOMAZCONA, pedindo a permanência do bispo emérito. Instituições do Marajó também publicaram notas “de apoio à permanência de do Azcona” na prelazia.

Em 26 de dezembro, a prelazia publicou comunicado informando que o bispo emérito havia sido comunicado pela nunciatura que não precisaria mais “transferir-se da residência na qual vive atualmente”. Com isto a Igreja Católica fez cessar os protestos de #FicaDomAzcona e #DefensorDoMarajó

FONTE: Folha de Bragança e ACI Digital

Compartilhe este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *