Polícia investiga vereador que tentou abrir CPI contra padre Lancellotti

A Polícia Civil de São Paulo abriu um inquérito contra o vereador Rubinho Nunes (União Brasil) para investigar um suposto abuso de autoridade após o parlamentar ter apresentado um pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o padre Júlio Lancellotti.

A investigação contra o vereador foi determinada pelo Ministério Público. O órgão acatou um pedido do Instituto Padre Ticão, que afirmou que Rubinho divulgou mentiras contra o padre Lancellotti e propôs a CPI “mesmo sem qualquer indício de conduta criminosa por parte do pároco, com única motivação de produzir ganho pessoal de capital político”.

O promotor Paulo Henrique Castex avaliou que o caso merece ser esclarecido para apurar se houve conduta com repercussão criminal.

Nas redes sociais, o vereador Rubinho disse que vai estudar uma representação criminal contra os responsáveis pelo instituto por denunciação caluniosa eleitoral, “haja vista que aguardaram a eleição se avizinhar para apresentar a estapafúrdia denúncia”.

“Tudo isso é uma tentativa bizarra de intimidação para acobertar tanto o sr. Lancellotti quanto as ONGs que atuam na região central e lucram com a miséria. Isso pode até funcionar com outros políticos, mas comigo apenas serve de motivação para investigar”, disse o vereador.

Relembre o caso

Em dezembro do ano passado o vereador Rubinho Nunes apresentou um requerimento para a abertura de uma CPI para “investigar as ONGs que fornecem alimentos, utensílios para uso de substâncias ilícitas e tratamento aos grupos de usuários que frequentam a região da Cracolândia”. Na época, o parlamentar afirmou, nas redes sociais, que queria convocar o padre Júlio Lancellotti para “prestar esclarecimentos” sobre sua atuação social no bairro.

FONTE: Correio Braziliense

IMAGEM: Reprodução

Compartilhe este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *