Dono de bar de rock morto em SP era treinado para combater assédio a mulheres

Carlos “Nenê” Monteiro, de 58 anos, proprietário do Malta Rock Bar, na zona sul de São Paulo, havia realizado um treinamento oferecido pelo Governo de São Paulo para combate ao assédio contra mulheres em estabelecimentos paulistas.

“Nenê”, como era conhecido, foi morto na madrugada do último domingo (16). Segundo familiares da vítima, o autor do homicídio estaria assediando uma funcionária do estabelecimento e Carlos interveio na ação antes do crime ser cometido. O suspeito foi preso em flagrante e a faca utilizada por ele foi apreendida pela polícia.

Na ocasião, a vítima recebeu um certificado da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) pela capacitação, que teve carga horária de 30 horas. O curso faz parte do protocolo “Não se cale”, desenvolvido pelo governo estadual. 

O programa visa capacitar proprietários e colaboradores de bares nos municípios paulistas para combaterem a violência contra a mulher nestes locais.

“Por meio dessa iniciativa, os estabelecimentos têm todas as diretrizes e cursos para que seus colaboradores saibam prestar auxílio adequado às vítimas de assédio, abuso, violência e importunação: desde a saída do local em segurança até o acionamento da rede pública de saúde e segurança”, explica a Secretaria de Políticas Para a Mulher.

O “Não se cale” prevê um selo de reconhecimento aos bares de acordo com o nível de capacitação dos colaboradores.

Na página do projeto, o governo recomenda que proprietários e colaboradores de bares interfiram em eventuais casos de violência ou assédio contra mulheres no ambiente de seus bares:

“De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (Lei federal n.º 8.078/1990), os estabelecimentos são responsáveis pela segurança de todas as pessoas que estiverem em suas dependências. Se você presenciar violência ou assédio em seu estabelecimento, deverá perguntar à mulher se ela precisa de ajuda e informar ao agressor que aquele comportamento não será tolerado.”

O caso

O proprietário de um bar na zona sul de São Paulo morreu depois de ser ferido com um canivete na noite deste sábado (15). Carlos “Nenê” Monteiro, de 58 anos, era dono do Malta Rock Bar, localizado no bairro de Mirandópolis.

Segundo familiares da vítima, o autor do homicídio estaria assediando uma funcionária do estabelecimento e Carlos interveio na ação antes do crime ser cometido.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a Polícia Militar foi acionada e, ao chegar o local, já encontrou a vítima sem vida.

O suspeito, Diego de Almeida Pereira, de 34 anos, foi contido no local por testemunhas até a chegada do policiamento e acabou sendo preso em flagrante. O canivete utilizado no crime foi apreendido.

O caso foi registrado como homicídio no 16º DP, na Vila Clementino.

De acordo com os depoimentos o suspeito apresentava comportamento estranho e chegou a importunar clientes e brigar com uma funcionária do estabelecimento. “Nenê” teria chegado a expulsar o homem do local antes do ocorrido.

FONTE: CNN

IMAGEM: Reprodução

Compartilhe este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *